27 março 2018

manuel cintra / levas-me inteiro


  


                Levas-me inteiro
                Mais longe nos tecidos
                Algures a germinar
                Um ovo
                Em estado de promessa.

Choro, talvez
Chore ainda mas ainda mais talvez

Lavas-me, escorro
De ti para as ruas ainda mais de ti

                Seria simples imaginar
                Uma das tuas mãos
                Com os ossos da minha.
                A  outra, a carne.

Mas eu não gosto de coisas simples.



manuel cintra
do lado de dentro
editorial presença
1981







Sem comentários: