07 setembro 2014

antónio josé forte / o nome



Veio do outro lado do mar
pronunciado pelo fogo
e jaz nos jardins suspensos sobre a morte
como um vómito do coração
o nome podre de ninguém



antónio josé forte
caligrafia ardente
hiena
1987




3 comentários:

Carla Diacov disse...

ah, que fortuna!
boa semana, Gil!

Breve Leonardo disse...


[a palavra contundente,

lâmina, margem, poesia.]


tão grato por este A. José Forte,

um abraço!

bL

Alvaro Morales disse...

Te invito a que visites mi página de poesía y me des tu comentario sobre mis obras. Felicidades!
www.alvaromorales.com.mx