28 março 2007

arte do regresso


13.



Tudo o que aconteceu no passado
está agora presente como uma fogueira.
A tua ausência permanece.
A árvore oscila entre o mar e a terra,
os ramos quebram-se nesse vento funesto,
vejo que passas com as mãos a arder
e a brancura intensa a cobrir-te a cabeça.
O rosto é ainda o último refúgio.







amadeu baptista
arte do regresso
campo das letras
1999


2 comentários:

bruno .b.c disse...

brilhante. as imagens
do fogo intensíssimas.
versos segundo e sexto.
um abraço, e até breve, gs.

Anónimo disse...

desculpa a intrusao..mas tava ah procura de poemas desse poeta. e tu por acaso n es o helder "metamorphosis" ou es? seria 1 grande coincidencia..se puderes deixa aqui 1 resposta :)
beijos ****

Joana (Phoenix)