24 janeiro 2020

fernando lemos / veneno



Veneno
ou uma viola branca
ventre ou duas luvas
brancas

vidro
ou eu abatido na cama

domingo
ou eu recebendo à bala
os vizinhos

tu
ou eu cego de te inventar

eu
ou apesar da fúria
sombra em pedaços
cintilantes


fernando lemos
poesia
porto editora
2019








1 comentário:

Megy Maia disse...

Nunca li nada assim.
Fiquei boquiaberta.
Cumprimentos,
Megy Maia