20 março 2016

fernando echevarría / da nossa própria noite se levanta



Da nossa própria noite se levanta
aquela imóvel espécie de negrura
onde tudo é possível – as galáxias,
ou pulsar nulo de galáxia alguma.
E até a expansão, a criar alta
Invisibilidade. Mas que suga,
quando o assunto for mais denso, a graça
de um maior brio de altura.
E a outra noite pela nossa canta,
não luzes de prestígio, a só penúria
que, quase instrumental, se exerce. Instaura
um dentro fora de dimensão alguma.
E é de aí que a noite se levanta
e o mundo da insistência continua.


fernando echevarría  
geórgicas
afrontamento
1998



1 comentário:

Pedra do Sertão disse...

Passei meia hora lendo o acervo do blog...cansada de ler as notícias chatas/feias que se repetem e se repetem na TV brasileira.

Uma sensação maravilhosa: a poesia tira a mente dessas cenas tristes do cotidiano!

Abraços do Pedra...

www.pedradosertao.blogspot.com.br