21 maio 2021

luca argel / smoothie




 
ela cresceu numa favela de Bagdá
na primeira década deste século.
 
pelo menos uma vez por semana
era acordada em plena madrugada
pelo som ensurdecedor dos rotores
de um enorme helicóptero americano
dando voos rasantes sobre sua casa
sem objetivo
para além
da intimidação.
 
hoje vive num subúrbio de Lisboa
traduzindo para o árabe novelas brasileiras.
 
quase morre de susto
toda vez que eu uso o liquidificador.
 
 
 
luca argel
volta para atua terra:
uma antologia antirracista/antifascista de
poetas estrangeiros em portugal
editora urutau
2021




 

Sem comentários: