02 março 2012

tiago araújo / o lugar do morto

  




ao teu lado, no lugar do morto, enquanto
conduzes a conversa a uma frase sem
preparação. chegámos tarde à praia,
como a quase tudo. o vento levanta o
pó do parque de estacionamento e não
saímos do carro. não sei a resposta certa
e por isso represento mal o meu papel secundário.
limito-me a ficar em silêncio, onde
sempre me senti mais confortável.
um lugar sombrio, discreto, abrigado
e ainda assim, segundo dizem, o mais perigoso.




tiago araújo
resumo
a poesia em 2009
assírio & alvim
2010




1 comentário:

Pedra do Sertão disse...

"abrigado e ainda assim, segundo dizem, o mais perigoso".Também acho!
Mas correr perigo é uma sensação fundamental para a alma humana!

Abraço,

do Pedra do Sertão.

www.pedradosertao.blogspot.com