03 fevereiro 2011

carlos de oliveira / infância






Sonhos
enormes como cedros
que é preciso
trazer de longe
aos ombros
para achar
no inverno da memória
este rumor
de lume:
o teu perfume,
lenha
da melancolia.






carlos de oliveira
edoi lelia doura
antologia das vozes comunicantes da poesia moderna portuguesa
organizada por herberto helder
assírio & alvim
1985




3 comentários:

Lídia Borges disse...

Um gosto poético louvável!...

L.B.

Maria Costa disse...

Gosto da poesia de Carlos de Oliveira, poeta a quem actualmente dedico a minha atenção.

Obrigada.

Curiosa disse...

lindíssimo ... muito lindo este poema .. gostei bastante de todo o blog ...