15 abril 2014

paul éluard / ela está de pé nas minhas pálpebras



Ela está de pé nas minhas pálpebras
com os dedos nos meus entrelaçados.
Ela cabe toda em minhas mãos,
ela tem a cor dos meus olhos
e desaparece na minha sombra
como uma pedra sobre o céu.

Tem sempre os olhos abertos
e não me deixa dormir.
Os sonhos dela à luz do dia
fazem os sóis evaporar-se,
fazem-me rir, chorar e rir,
falar sem ter nada a dizer.




paul éluard
algumas palavras (antologia)
tradução antónio ramos rosa e luiza neto jorge
dom quixote
1977




1 comentário:

ANTONIO CABRAL FILHO MAFUÁ DO MALUNGO CABRAL disse...

Passei para deixar os meus parabens pelo bom gosto editorial. Aguardo a visita, mesmo sem vinhos nem queijos.