04 julho 2010

armando silva carvalho / a chave inglesa







Era um corpo inteiramente
português.
Transido de ternura
o óleo das suas mãos
protegia-me
o coração.

Não sei que mecanismo
despertava em si
quando chorava,
fazia crescer a relva,
meus dentes indecisos
como crias
corriam e devoravam.

Escreveu-me duas cartas
em cima de um tractor
e nelas descrevia
em frases simples
o modo tortuoso
que me fez traidor.







armando silva carvalho
as escadas não têm degraus nr. 3
livros cotovia
1990






2 comentários:

magnohlia disse...

Poema que grita

magnohlia disse...

O cabeçalho está muito bonito, ainda melhor que a fotografia