25 maio 2009

pedro gil-pedro / para que ninguém sobreviva ao perdão






O modo exemplar
da lapidação – irrepreensível
a executar

a infligir por cima
e por baixo as alvenarias

e a conformidade do sangue.

exímio e constante
nos pormenores do fogo

anterior aos incidentes
da predição e às funções
do alabastro.





















pedro gil-pedro
para que ninguém sobreviva ao perdão
cosmorama
2008






2 comentários:

magnohlia disse...

Belo

Delirius disse...

Belo, o poema, sim!

mas... que ninguém sobreviva ao perdão!...
Beijo