13 julho 2008

é o vento que conversa






é o vento que conversa
nos astrais rudes da tua voz.


o perfil é terra sem alma.


acuras as esperanças
inflamam-se em labirintos.


o abismo é ensejo
no sorriso da ironia


um nome estranho demove o grito
saído das costas coagidas.


puro é o espaço úbere
no silencioso vulto
que louco repete
supostas virtudes


o espanto é figura na voz
de rostos sem nomes
coroados de leveza


ermo na noite, o vento irrompe
e é o impulsor do corpo!







l.maltez






2 comentários:

Bruxinhachellot disse...

Uma conversa de sentidos e emoções.

Beijos de bosques.

José Félix disse...

é o vento que conversa
na esquina do olhar
e a brisa na travessa
do rocio do mar

é o vento que conversa
navio a navegar
náufrago que regressa
sem vontade do mar

é o vento que conversa
é o vento de vergar
é o vento que atravessa
é o vento é o mar

josé félix