05 março 2011

gil t. sousa / esse dom de cegar




32


quisera tão só esse dom de cegar,
de luz trespassar as noites
e no ventre do mundo correr mansamente

como se os navios chamassem
e um oceano morresse no vazio dos passos,
como se fosse a hora de me transformar numa ilha
onde só tu naufragasses





gil t. sousa
falso lugar
2004





2 comentários:

lena disse...

percorro lentamente cada verso para me envolver na tua poesia

Belo!

beijinho em ti

Ricardow disse...

Muito bom o blog, magníficas poesias, visite o meu, e veja o que acha: http://poesiasemvalor.blogspot.com