29 janeiro 2007

harold pinter / mensagem





Jill. O Fred telefonou. Não pode esta noite.
Disse que ligava outra vez logo que desse.
Eu disse (por ti) OK, não há problema.
Disse para eu te dizer que ele estava bem,
Só a merda, disse ele, sabes, fica colada,
A merda que tens de combater.
Às vezes não é mais do que um monte de merda ambulante.

Eu própria estou bem familiarizada com o pivete,
Disse-lhe eu, e aconselhei-lhe calma.
Não deixes que esses cabrões te deitem abaixo,
Descontrai um bocado a pressão,
Vai à cidade, queima uma pessoa até à morte,
Descobre uma outra puta, dá-lhe uma martelada,
Vive a juventude até ela se acabar,
Dá um pontapé nos tomates do primeiro cego que encontrares.

Mas ele vai ligar outra vez.

Eu volto à hora do chá.

A tua mãe que te adora.





harold pinter
várias vozes
trad. vários
quasi
2006





2 comentários:

lena disse...

Belo!


volto à hora do café...


o meu abraço

beijinhos

lena

menina limão disse...

uma pérola!