25 abril 2011

luís vaz de camões / mudam-se os tempos, mudam-se as vontades

.
.
.
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.




luís vaz de camões
sonetos
.
.
.

3 comentários:

gs disse...

Estão lá quase todos os responsáveis pelo descalabro político, económico, social e moral deste país nos últimos anos.
Uns de cravo ao peito, outros de ferradura escondida: todos de fato impecável e limpo como as suas consciências.
Foram eles que hipotecaram e venderam este país, são eles que têm a veleidade de nos querer salvar.

Triste, triste, é que, mesmo assim, o povo os há-de aplaudir de pé.

Albino M. disse...

Apoio.
100%

Andressa disse...

é...