15 agosto 2010

aurora maria amaral / histórias a contar






Acalento o silêncio da noite
como se de um filho se tratasse.
aqui estou,
ébria de solidão e tempo passado,
plena de esperança,
certa da resistência que virá...
acalento memórias e desilusões
sei que outras virão
e alegrias também
e música e magia e luares
mantenho acesa a minha chama
a alma plena de alegria
partirá a dar a mão ao sonho
e muitas historias a contar
era uma vez...
nesse lugar longínquo
onde as dores não existem
e o tempo permanece quedo,
um cavalo alado,
um tesouro antigo,
gnomos que passeiam
nos corpos anunciando
o prazer






aurora maria amaral





3 comentários:

Ira Buscacio disse...

lindo!

E quem não quer esse lugar? Convém procurá-lo dentro de nós.

Bj

Chellot disse...

Era uma vez uma poesia que tinha o poder de encantar. Lindo!
Beijos doces.

Ramon Alcântara disse...

A idéia de tantos "era um vez" e o tempo inexistente impossível quieto! Lindo!