29 junho 2006

post it / m. f. s.

candelabros



candelabros minha flor de laranjeira

sussurrava o sussurrante ao ouvido esquecido

candelabros ofuscantes na paisagem futurista dos teus sonhos

entre leitos alvos espalhados na planície

luzes incolores nos olhos das crianças adormecidas

candelabros meu amor de fim de mundo



m.f.s.


5 comentários:

w. d. sevahc disse...

É de facto extraordinário este poema.
A cadência da leitura pela disposição dos lexemas e pela intencionalidade das aliterações. A ausência de pontuação.
A força da imagem e da metáfora.
Sem formalidades e sem querer banalizar o texto: é um poema lindíssimo.
Vou lê-lo outras vinte vezes.

w.d.s. disse...

Perfeito.

fernanda f disse...

obrigada w.d.sevahc.

w.d.s. disse...

Perfeito.

Anónimo disse...

Mesmo três meses depois.