12 novembro 2007

este coração devoluto




Conforta-me saber agora
que um dia, não sei bem quando,
terei quem me limpe o granito polido
de folhas velhas e de pó
e talvez me sinta
numa árvore próxima,
num fruto,
numa erva,
e de par em par
formando um elo,
a presença de alguém
que foi sem saber ser,
que perdeu nos dedos os porquês
e amor,
alguém viveu, amor,
alguém sorriu, amor,
alguém se fumou até à morte,
alguém se pensou até à morte,
se debateu de mais até à morte
sobre o sentido das pegadas nestes trilhos
traçando no chão o seu caminho
sem traçar o seu destino.
E amor,
este coração devoluto
deu guarida a sem-abrigo em excesso,
que serviu de garagem e armazém,
de hotel e pensão rasca,
de cabide e asilo, de casa de alterne
e solar de ricos
é agora um sanatório
abandonando-se a si mesmo
no desgaste de dois murmúrios.
Mas amor, olha-me nos olhos
e não chores,
evita que os teus joelhos
sangrem sobre a pedra que me cubra
e sente-me no verde de qualquer musgo
e anda para a frente e sê feliz
tem filhos e filhas e escreve um livro
sobe à tua serra e corre e grita
e sente o eco dos teus gritos,
amor,
não te abandones assim, ao Deus-dará,
não te abandones assim sem sentido
nessa tristeza,
porque amor,
neste coração devoluto
uma morada
uma casa branca
um fruto.




w.d. sevahc





5 comentários:

magnohlia disse...

Belíssimo poema.

Anónimo disse...

Obrigado, minha flor de laranjeira.

Taty disse...

Estava a procura de poesias e encontrei seu blog, adorei.
Posso aad no meu?

www.eudesconexado.blogspot.com

- anderson. disse...

Eu amo demais todas as postagens que você já fez com todos esses escritores extraordinários, tenho que agradecer-lhe por excelente gosto literário e pelo meu deleite ao ler palavras tão belas. Em especial, adoro muito os escritores que você posta desse escritor: 'w.d. sevahc', da próxima vez que você postar outro texto dele você pode colocar algo (como um pedaço de biografia) sobre ele? não achei muitas fontes que falassem sobre, desde já, mais uma vez agradeço imensamente.


Tudo de bom pra você!

Anónimo disse...

É muito bom ler os teus poemas!
Sinto que faço parte deles...quando os leio transporto-me para um mundo fantástico!!!
Obrigada por alimentares a minha alma!
Jufinhas.