19 julho 2006

post it / anderson henrique de sousa


Quase um dia



Um dia sem vento
é quase

um dia

Chega mesmo
a dar agonia
ver as nuvens

paradas

no céu


Os prédios nem se movem.
Só o som do elevador
de

cima
para
baixo

As nuvens estão

paradas


quase
um dia






anderson henrique de sousa
São Paulo



5 comentários:

Dupla_Maravilha disse...

bem tu tens imenso jeito !
tas de parabens!
mts felicidades pa ti!

visitem-me:
www.duplamaravilha4ever.blogspot.com

filipelamas disse...

Nuvens paradas, pensamento andante!

Anónimo disse...

estes poemas iguais a merda

Anónimo disse...

nossa! muito bom. se não gosta basta não ler não é mesmo? esse sujeito de cima é muito idiota.

helena barroso disse...

Revolta ler comentários "idiotas" num local com qualidade, reafirmo o comentário anterior.

O seu bonito verso sobre a "ausência" de vento, oferece-me (talvez) a monotonia do interior do ser humano em alguns dias rotineiros, sem nenhum "acontecer" criativo ou doce...

MHB

MHB