26 Janeiro 2007

jean genet



A lantejoula é uma roda minúscula de metal dourado,
com furo ao centro. Fina e leve, até na água flutua.
Por vezes, duas ou três ficam coladas aos caracóis
de um acrobata.

Esse amor - mas quase em desespero,
mas carregado de ternura - que deves mostrar
pelo teu arame, tanta força terá como o arame
que vai suportar o teu peso.
Conheço os objectos, a malignidade que têm,
a crueldade, a gratidão também.
Estava morto, o arame
- ou mudo se quiseres, ou cego -
e olha: vai viver agora, e falar.

Vais amá-lo
e de um amor quase carnal.
Antes de começares o treino todas as manhãs,
com ele tenso e a vibrar, vai dar-lhe um beijo.
Pede-lhe que aguente o teu peso
e te conceda elegância e nervosidade à perna.
No fim da sessão vai saudá-lo e agradecer-lhe.
E à noite, já enrolado na caixa, vê-lo e fazer-lhe festas.
E encosta, muito meigo, a tua face à dele.

(...)





jean genet
o funâmbulo

trad. aníbal fernandes
hiena editora
1984




3 comentários:

amf disse...

parabéns pelo critério, fabulosas ilustrações.

melissabeth disse...

bello escrito
y las imagenes me dejan sin habla

saludos

lena disse...

parabéns!

o novo visual está deslumbrante

como sempre o teu bom gosto prima pela excelente qualidade

abraço meu e com algumas saudades

beijinhos

lena